(66) 3532-2778 / (66) 3531-5249

Biografia da Patrona


Data: 14 de agosto de 2018

BIOGRAFIA DA PATRONA DA ESCOLA “PROFESSORA EDELI MANTOVANI”

 

Nascida em 1º de julho de 1.953, na Vila Santa Terezinha do Forroméco, pertencente na época ao município de Montenegro, Estado do Rio Grande do Sul. Filha de Edmundo Mützenberg e Maria Annanda Mützenberg. Seus avós paternos eram oriundos da Suíça e os maternos da Alemanha, vindos da Europa no final de 1ª Guerra Mundial.

            Ainda em 1.958, a família migrou para Santa Catarina, numa Vila que logo passou a ser distrito chamado Princesa, pertencente ao município de São José do Cedro.

            A família era composta por 13 filhos, sendo ela a terceira da ordem, sendo 8 homens e 5 mulheres. O pai tinha como profissão sapateiro e a mãe do lar.

            A Edeli por sua vez dedicou-se aos serviços da casa, ajudando a cuidar dos irmãos mais novos. Quando atingiu a idade escolar, 7 anos, foi dividir o horário com estudo na escola local chamada Escola desdobrada Estadual “Antenor Nascentes”, porém, o objetivo do pai era oferecer condições para os filhos continuar os estudos. Como Princesa, na época oferecia o primário, só tinha o antigo Ginásio e 2° grau na sede do município e não havia transporte escolar, havendo necessidade de se deslocar para estudar. Ela então continuou os estudos em São José do Cedro, onde por sua vez foi morar e trabalhar no Hospital local que era dirigido por uma ordem religiosa, Irmãs da Divina Providência. Exercia as funções de copeira, auxiliar de enfermagem e plantão noturno aos enfermos. Dividia seu tempo de trabalho com os estudos, assim concluiu em 1.977 o segundo grau, Habilitação Específica para Magistério de 1° Grau – 1ª a 4ª série no Colégio Cedrense, de São José do Cedro – SC.

Com o curso de Magistério, deixou o trabalho no hospital e foi buscar trabalho na área da educação. Em 1.978, foi lecionar na Escola Básica, no distrito de Padre Réus no mesmo município.

Edeli tinha uma paixão muito grande pelas coisas belas da natureza, brincava com os bichinhos, quando criança ficava horas conversando com os gatinhos, amava flores, cultivava a beleza pessoal e espiritual, gostava de dançar, divertir, viajar, conhecer rumos diferentes, tinha um círculo de boas amizades.

Era dedicada aos estudos, à boa leitura, lia poesias entre familiares e consequentemente influenciou um irmão mais novo a compor poesias e as correções eram feitas por ela. De tanto que gostava de ler, a mãe quando a procurava, podia saber que estava no quarto lendo.

            Desejava continuar os estudos, fazer um curso superior, ter uma vida mais digna e sonhava com o príncipe encantado para construir uma família.

Para realização, aos 13 de janeiro de 1.979, casou-se com o senhor Sérgio Mantovani, em Princesa, município de São José do Cedro. Como seu esposo, no ano anterior, já tinha vindo à Sinop- MT, a fim de trabalho, resolveram fazer a vida nesta cidade, sendo uma verdadeira aventura.

Neste período tiveram dois lindos filhos, Everton Luís e Marcelo Ariel. Como na época em Sinop, só havia uma única Escola Estadual “Nilza de Oliveira Pipino”, desde 1.979 serviu a escola em função de professora, sendo uma das pioneiras.

Todos os sonhos se findaram num trágico acidente de trânsito, no dia 27 de julho de 1.984.

Seu nome foi indicado para a patrona desta escola devido ao bom trabalho realizado na educação do município de Sinop-MT.

Informações cedidas por:

Everton Luís Mantovani e

Marcelo Ariel Mantovani

(filhos da patrona)

Os comentários estão desativados.